Micro Região Turística de Furnas e Canastra Capitolio

A cidade “Rainha dos Lagos” recebeu uma série de ações da Administração Municipal e da iniciativa privada para estruturar o setor turístico que cresceu extraordinariamente nos últimos três anos.

O desafio da Prefeitura de Capitólio foi articular todos os envolvidos – empresários e profissionais autônomos do ramo do turismo, órgãos do poder público, operadoras de viagens e os próprios turistas – para preparar a cidade para o número crescente de visitantes, dentro de um turismo sustentável dos pontos de vista ambiental, social e econômico. Os resultados já estão acontecendo e as perspectivas são positivas, com melhoria na qualidade dos serviços, mais segurança para o visitante e a vinda de novos investimentos.

Ciente das ações necessárias para ordenar o crescimento do Turismo no município, a Prefeitura está realizando ações concretas para melhorar a atividade turística, naquilo que é competência e obrigação do poder público. As empresas prestadoras de serviços, diante de tantas ações realizadas pela Prefeitura, estão cada vez mais preparadas para oferecer um serviço de qualidade a todos.

Capitólio, a Capital do Lago de Furnas

Capitólio (MG) se tornou um dos destinos turísticos mais desejados do Brasil por sua localização privilegiada às margens do “Doce Mar de Minas” – o Lago de Furnas, que possui imensos 1.440 km² e que foi criado com o represamento do Rio Grande para a construção da Hidrelétrica de Furnas, inaugurada em 1963; também é buscado pelas diversas cachoeiras situadas no município e nas cidades dos arredores; além do seu artesanato, da sua gastronomia à base de peixe e comida típica mineira, e da hospitalidade de sua gente.

Os cânions presentes no Lago - grandes paredões rochosos com mais de 20 metros de altura – formam cenários de rara beleza e fazem dos passeios náuticos um dos principais atrativos buscados por turistas.

Na área urbana, a cidade também tem muita beleza e charme com sua orla, às margens de lagoas formadas pelo dique de represamento do rio Piumhi.

Além dos atrativos turísticos citados acima, a cidade também oferece lindas cachoeiras com vistas marcantes, (algumas possuem fácil acesso e ficam próximas a rodovia MG 050), e outras podem ser visitadas com operadoras de passeios de 4x4; passeios de balão, em que o visitante pode inclusive acompanhar o processo de inflagem e receber instruções sobre o balonismo; uma programação artístico-cultural diversificada na Casa da Cultura Tio Inácio toda última quinta-feira do mês; produtos artesanais de qualidade da Associação CAPITART (Associação dos Artesãos e Produtores Caseiros de Capitólio) que se localiza dentro do CAT (Centro de Apoio ao Turista) na entrada da cidade; além da feira livre com produtos rurais e praça de alimentação toda terça-feira a noite e sábado pela manhã na Praça Padre João Machado (Praça da Matriz).

Vale ressaltar também a importância do Bairro Escarpas do Lago, que é situado às margens do Lago de Furnas, e concentra residências de veraneio, estabelecimentos de hospedagem e de lazer, além de abrigar a maior marina fluvial da América Latina. A beleza da Praia Artificial Domingos Gonçalves Machado e da Igreja Matriz da Paróquia São Sebastião também são mais do que notáveis.


Os passeios náuticos pelo Lago de Furnas fazem grande sucesso entre os turistas, que podem apreciar de perto os cânions — Foto: Divulgação

Para visitar os atrativos, o turista pode buscar informações no CAT (Centro de Apoio ao Turista) de Capitólio, tel. (37) 3373-1111, ou contratar previamente os serviços de guias e agências receptivas. Na seção Turismo do site www.capitolio.mg.gov.br, o visitante pode encontrar uma lista de hotéis, pousadas, campings e restaurantes. O Centro de Apoio ao Turista existe desde março de 2018, e o intuito do local é prestar um ótimo serviço de atendimento ao visitante, tirando as suas dúvidas e o auxiliando no que for preciso. O horário de funcionamento do local é de segunda-feira a domingo, de 9 às 21 horas, e ele se localiza na entrada da cidade.


Centro de Apoio ao Turista (CAT), um local destinado a atender da melhor forma a todos os turistas da cidade — Foto: Divulgação

Aconselha-se ao turista confirmar diretamente com cada atrativo os dias e horários de funcionamento. Em geral, funcionam diariamente, nos fins de semana e altas temporadas, exceto em dias com excesso de chuva, quando o acesso às cachoeiras fica limitado ou até mesmo fechado, devido ao risco de enchentes.

Em relação aos serviços de apoio, a cidade dispõe de uma boa rede de comércio, taxistas, Santa Casa de Misericórdia e a rodoviária local, que disponibiliza linhas que ligam Capitólio a Belo Horizonte, São Paulo, Ribeirão Preto e Campinas.

Quanto à rede de serviços bancários do município, os visitantes podem utilizar o caixa eletrônico do Banco Bradesco, realizar serviços da Caixa Econômica Federal na agência lotérica, e do Banco do Brasil na agência dos Correios. A maioria dos estabelecimentos aceita pagamento com cartão de crédito e débito, mas é importante o visitante se programar caso necessite de dinheiro em espécie, uma vez que não há Caixa 24 horas.


Orla da Praia Artificial Domingos Gonçalves Machado, uma ótima opção para lazer e descanso — Foto: Divulgação


Produtos Artesanais feitos pelos artesãos da CAPITART (Associação dos Artesãos e Produtores Caseiros de Capitólio) que se localiza dentro do CAT (Centro de Apoio ao Turista) na entrada da cidade — Foto: Divulgação

Ações da Prefeitura

Em 2017, a Prefeitura criou a Lei Municipal N. 11 de 20/07/2017, que regula os serviços turísticos na cidade. A lei abrange: cadastramento de embarcações de turismo náutico e veículos de turismo terrestre (4x4), regras para acesso de ônibus de fretamento (excursões) e implantação da taxa de turismo. Esta foi a primeira ação do ordenamento da atividade turística, justamente para que o turismo aconteça de forma sustentável e responsável para todos os envolvidos: os visitantes, os moradores, os trabalhadores e empresários do segmento turístico e o meio ambiente. A íntegra da lei está disponível na seção “Turista” do portal www.capitolio.mg.gov.br

Em relação às cachoeiras localizadas em áreas particulares, cujos proprietários decidiram por transformá-las em atrativos turísticos comerciais, tem havido avanço no diálogo entre poder público e empresários, no sentido de atenderem à infraestrutura obrigatória de segurança, higiene e preservação ambiental. Serão também definidos os limites de visitação aos atrativos particulares, visando à proteção do ambiente e para prevenir o excesso de visitantes.

Outro ponto relevante é que, após muitas negociações, o Município conseguiu desapropriar uma parte da área próxima à ponte do rio Turvo, onde construirá um terminal aquático público/gratuito, para embarque de passeios náuticos e com estrutura de banheiros, lanchonetes e lixeira. O processo de licitação já foi finalizado.

A Lei N. 11 de 2017 exige o cadastramento dos operadores locais de turismo e, dessa forma, é possível a Prefeitura atuar para a regularização desses serviços. Eles participaram de capacitações, como a realizada em novembro de 2018 pela consultoria TourQual, além de mais quatro turmas de “Condutor em trilhas”, pelo SENAR.

Será construído no local denominado Mirante dos Cânions - localizado próximo à rodovia MG- 050, (um terreno particular que foi adquirido pela empresa “Canyons de Minas”), um parque de aventura, um parque aquático e um hotel de uma rede de bandeira internacional, na referida área. O grupo investidor tem atendido a todas as exigências legais que envolvem trâmites junto à Prefeitura, e que estão relacionados à conservação ambiental, à segurança da obra e dos futuros usuários.

O local já recebeu a infraestrutura inicial e passou a ter o controle de visitantes e a cobrança de taxa de visitação. Essas medidas visam à segurança dos turistas e à proteção ambiental, e foram definidas conjuntamente em reuniões com a participação da Prefeitura de Capitólio, do Ministério Público Federal, do Ministério Público Estadual, da Polícia Rodoviária, do Departamento de Estradas de Rodagem – DER/MG, da Concessionária AB Nascentes e da empresa Canyons de Minas, proprietária do terreno de 128 hectares onde se situa o mirante.

Outro aspecto relevante é que a partir do estudo de impacto dos cânions realizado com o apoio da Marinha do Brasil, o acesso a esse ponto turístico foi regulamentado. Foi implantado o controle de acesso no início do canal dos cânions, por meio do qual existe um limite no número de embarcações no local, a cada período de tempo. Isso é válido para embarcações de uso particular e as de uso comercial, e só é permitido o acesso aos barcos devidamente legalizados e habilitados.


As lindas cachoeiras encantam a turistas e moradores nos passeios náuticos — Foto: Divulgação

O Turismo é uma vocação de Capitólio, que foi presenteada com dádivas naturais. O caminho para estruturar a atividade é longo e complexo, e a Administração Municipal o está percorrendo com a seriedade que se faz necessária. O setor de Turismo do Município está sempre à disposição dos moradores, visitantes e autoridades.

Fonte G1 e Prefeitura de Capitolio